Conectate con nosotros

Internacionales

5 formas rápidas e fáceis de reduzir seus rastros na internet

Publicado

en

Quer saber como proteger seus dados, reduzindo seus rastros na internet? O escândalo do Facebook e a consultoria Cambridge Analytica levou a uma reflexão sobre dados pessoais na rede. Usuários estão verificando como eles estão sendo armazenados e se estão sendo usados sem consentimento.

A empresa de análise de dados usou informações pessoais de mais de 50 milhões de perfis no Facebook, sem permissão, para construir um sistema que miraria eleitores americanos com anúncios políticos personalizados, baseados em seu perfil psicológico.

Talvez você soubesse que o Facebook e o Google guardam seus dados. Mas você sabe quantas informações têm sobre você?

Membros do coletivo Tactical Tech, um grupo sem fins lucrativos especialista em segurança digital, explicam como encontrar que informações sobre você estão armazenadas e como protegê-las.

1. Limpe seu perfil no Facebook
O Facebook dá a opção de fazer o download de todas as suas informações. Isso inclui suas publicações e compartilhamentos, fotos e todas as mensagens que você já mandou ou recebeu, entre outras coisas.

Para receber uma cópia, vá para “configurações”, opção no canto esquerdo superior da página do Facebook. A última opção disponível diz “baixar uma cópia dos seus dados no Facebook”. Você vai precisar digitar sua senha. Depois que solicitar o download, o resultado será enviado para você por e-mail.

De volta às configurações, na coluna da esquerda, uma das últimas opções é “aplicativos”. Nessa opção, você pode remover todos os aplicativos que estão armazenando informações sobre você. Se lembra do teste que você fez há tempos? Ele provavelmente armazenou muitos dados seus.

Clique, então, em “aplicativos”. Na página que surge, você pode ver quais têm acesso a certos dados seus. O Facebook informa que eles têm acesso à sua lista de amigos, por exemplo.

Na opção “aplicativos, sites e plug-ins”, é possível “editar”. Clique nessa opção e em seguida em “desativar plataforma” – essa opção excluirá todas as conexões entre o Facebook e aplicativos de fora, como jogos, de música (como o Spotify), paquera (Tinder, por exemplo), entre outros. Você também pode deletar apenas os aplicativos que não deseja manter conectados ao Facebook.

Depois, em “aplicativos que outras pessoas usam”, é possível retirar a seleção de informações disponíveis para aplicativos usados por amigos. Sua biografia, data de nascimento, informações sobre educação e trabalho, por exemplo, são alguns dos dados acessados por esses aplicativos. Para evitar que essas informações sigam sendo compartilhadas, desmarque-as e clique em “salvar”.

2. Google, quanto você sabe a meu respeito?
É bem provável que você utilize algum produto do Google todos os dias. A empresa conhece você mais do que qualquer pessoa.

Entre no Google e faça o login na sua conta, no canto direito superior. Depois, clique na sua foto ou no logo do Google, também no canto direito superior, e selecione “Minha conta”.

Acesse a coluna central, “informações pessoais e privacidade”. Em “minha atividade” – ou diretamente no link https://myactivity.google.com/myactivity – você poderá ver tudo o que o Google armazena sobre você.

São informações como: todos os sites que você acessou, caso utilize o navegador Chrome, as pesquisas que você fez no Google, anúncios e buscas no Google Maps.

Agora, clique em “excluir atividade por”. Nessa opção, você poderá deletar o histórico das suas atividades que foi armazenado pelo Google.

Mas ainda é preciso impedir que a empresa siga coletando seus dados. Por isso, clique em “controles de atividade” – https://myaccount.google.com/activitycontrols. Nessa página, você pode “pausar” todos os dados que são salvos diariamente, como sua atividade em aplicativos, histórico de localização, informações de dispositivo, atividade de voz e áudio e histórico de pesquisa e exibição no YouTube.

Assim como no Facebook, você pode fazer o download de todas as informações que o Google tem sobre você.

Acesse a página google.com/takeout. O resultado costuma ser um arquivo enorme com antigos históricos de busca, dados de calendário, páginas favoritas, vídeos do YouTube que você viu, enfim, uma infinidade de coisas.

Seu celular também armazena onde você esteve e quando
3. Vamos aos seus históricos de localização
Se você usa um smartphone, há grandes chances de que tenha cedido a aplicativos detalhes de quem você é, onde vive e aonde vai.

Para verificar como seu telefone armazena seus passos, siga estes:

– Android: Abra o Google Maps, acesse o “menu” e clique na sua “Linha do tempo”.

– Iphone: Vá em “Ajustes”, depois “Privacidade” e “Serviços de localização”. No fim do menu, clique em “Serviços do Sistema”. Ali, pode verificar item por item para ver como é o armazenamento de dados da sua localização.

No computador, vá para a página: https://www.google.com/maps/timeline. Clique em “gerenciar histórico de localização”.

Se quiser negar o acesso dos aplicativos à sua localização:

– Android: Vá para “Configurações”, “Aplicativos”, “Permissões de aplicativos”, “Localização”

– Iphone: “Ajustes”, “Privacidade”, “Serviços de localização” e gerencie um por um o acesso dos aplicativos

Navegadores estão automaticamente configurados para armazenar alguns dados de usuários
4. Use um navegador anônimo
Já reparou que depois de navegar por um site de compras, os produtos que você havia pesquisado aparecem em outras páginas que você visita?

Isso acontece por causa de rastreadores colocados nos sites. Eles ficam coletando dados por trás dos panos, incluindo suas buscas, sites que você visita e seu endereço IP (número de registro de computadores).

A má notícia é que nenhuma configuração de navegar é naturalmente privada. A maioria armazena “cookies”, arquivos de internet que guardam temporariamente o que o internauta está visitando na rede. Também guardam o seu histórico de navegação, gravam conteúdo de formulários preenchidos e outras informações, que podem ser compartilhadas.

Mas o Chrome, do Google, Firefox e o Safari oferecem um modo de navegação “anônimo” que automaticamente deleta seu histórico de navegação, cookies e arquivos temporários toda vez que você fecha a página.

Tente você mesmo: abra seu navegador (Firefox, Chrome ou Safari) e vá para o menu. Depois, escolha “nova janela de navegação anônima”.

Nas preferências de navegação do Firefox e do Safari, você pode escolher navegar de forma anônima permanentemente.

Especialistas recomendam deletar do celular aplicativos que você não usa
5. Você precisa mesmo de todos seus aplicativos?
Você sabe quantos aplicativos tem no seu celular? Tente adivinhar e depois pegue seu celular e conte quantos são.

Mais do que você imaginava? Delete alguns. Essas perguntas podem te ajudar a decidir de quais você pode abrir mão:

– Você realmente precisa desse aplicativo?

– Quando que você usou o aplicativo pela última vez?

– Que dados ele pode armazenar?

– Que empresa está por trás do aplicativo?

– Você confia na empresa?

– Você conhece seus termos de privacidade?

– Que benefício você está ganhando em troca da cessão dos seus dados?

Fonte: BBC Brasil

Sigue leyendo
Comentarios

Internacionales

China despliega redes 5G en siete ciudades del país

Publicado

en

La empresa China Unicom promete ampliar la implantación de la nueva tecnología en diversas localidades del gigante asiático.

El operador de telefonía celular China Unicom ha cubierto siete ciudades del país asiático con redes 5G, informa la página de la empresa en la plataforma social Weibo citando un discurso del director general de la compañía, Wang Xiaochu.

El despliegue forma parte del plan conocido como ‘7+33+n’. Este implica, además, la creación de ‘hotspots’, —zonas limitadas con acceso a Internet—, en 33 ciudades y la provisión de redes 5G especializadas en un número indeterminado de localidades.

47516

Etiquetas:


Sigue leyendo

Internacionales

¡6,4%! La señal positiva económica de China es más fuerte

Publicado

en

La Oficina Nacional de Estadísticas de China publicó el miércoles pasado los datos, mostrando que el PIB alcanzó los 213.433,3 mil millones de yuanes en el primer trimestre, un 6,4% más que el año anterior, y la tasa de crecimiento fue igual en comparación con el cuarto trimestre del año pasado. Los principales indicadores de las operaciones económicas, como el empleo, los precios y los ingresos durante el mismo período fueron en general mejores de lo esperado. Esto muestra que la economía china logró un inicio sin problemas este año, lo que no solo impulsó la confianza del mercado, sino que también sentó una buena base para lograr los objetivos esperados de crecimiento económico durante todo el año.

Específicamente se dice, el funcionamiento de la economía china en el primer trimestre tiene tres características claras:

Ante todo, la tendencia de progreso constante es la más obvia. La tasa de crecimiento del 6,4% en el primer trimestre está dentro del rango del 6% a 6,5% del objetivo de crecimiento previsto por el gobierno chino, que es mejor que la tasa de crecimiento más reciente del FMI de 6,3% para la economía china. En el primer trimestre, hubo 3,24 millones de nuevos empleos en áreas urbanas, completando el 29,5% de las tareas objetivo anuales; el ingreso disponible per cápita de los habitantes nacionales aumentó en realidad un 6,8%; el IPC (Índice Nacional de Precios al Consumidor) aumentó moderadamente en un 1,8%, el IPP (el índice de precios en fábrica del productor) aumentó ligeramente en un 0,4% … Estas medidas de los principales indicadores de la economía de un país indican que la economía china ha resistido firmemente la presión a la baja y se está estabilizando.

En segundo lugar, la estructura económica ha sido optimizada. En la actualidad, la economía china está recurriendo a un desarrollo de alta calidad. Uno de los criterios importantes para juzgar es el grado de optimización estructural, si puede lograr una transición de “no tener” a “bueno”.

En tercer lugar, la confianza del mercado es más fuerte. Para el capital y el mercado, la confianza es más importante que el oro. En el primer trimestre, el índice de confianza del consumidor de China aumentó en 3,2 puntos porcentuales con respecto al cuarto trimestre del año anterior, las empresas de inversión extranjeras y de Hong Kong, Macao y Taiwán aumentaron un 1,4%, la importación y exportación de carga aumentó un 3,7% y los nuevos préstamos en RMB aumentaron a 5,81 billones de yuanes, un incremento de 952,6 mil millones de yuanes. En marzo, el índice de gerentes de compras de manufactura (PMI, por sus siglas en inglés) se volvió a un rango próspero… Todo lo cual mostró que la liquidez del mercado era razonablemente abundante y la confianza en invertir en la industria aumentó significativamente.

En el contexto de la escalada actual de la fricción del comercio mundial y la creciente incertidumbre del desarrollo económico, no es fácil para la economía china lograr los resultados anteriores en el primer año. Esto refleja que la economía china ha resistido choques externos como las fricciones comerciales y ha demostrado una gran capacidad de resistencia a la presión, lo que asentó las bases para la recuperación económica de China. Por otro lado, este es también el lanzamiento del firme impulso del gobierno chino para la reforma y la apertura y la política programada, lo que aumenta la confianza mundial en el gobierno chino y la confianza en el mercado chino, creando así un entorno favorable para que la economía china logre un buen comienzo.

Como la segunda economía más grande del mundo, la economía de China se ha estabilizado y se ha recuperado, lo que sin duda es algo bueno para el mundo. La última Perspectiva de la economía mundial publicada por el Fondo Monetario Internacional ha reducido su pronóstico de crecimiento global este año, pero en las principales economías del mundo solo ha aumentado el crecimiento económico de China. Este análisis muestra que China continuará desempeñando un papel de función del motor en la economía mundial.

Ahora China va a seguir manteniendo un desarrollo de la economía en un rango razonable para asegurar que la economía china sea un barco estable y seguro.

Sigue leyendo

Internacionales

Tequila faz bem para digestão, osteoporose e até colesterol: 5 benefícios científicos

Publicado

en

.

Quem não abre mão de uma dose de tequila em festas e happy hour pode ter motivos extras para permanecer fiel à preferência: estudos apontam que a bebida pode trazer diversos – e curiosos – benefícios para a saúde.

Benefícios da tequila para a saúde

1. Cientistas do México descobriram que as substâncias da planta de tequila podem ajudar a aumentar no organismo os níveis de cálcio e magnésio, minerais essenciais para manter os ossos fortes. Em outras palavras, a tequila pode combater a osteoporose.

2. Se consumida com moderação, a tequila, ao contrário da maioria das bebidas alcoólicas, não resulta em aumento de peso. Segundo um estudo do American Chemical Society, açúcares da planta agavina, matéria prima da tequila, não são absorvidas pelo organismo e, portanto, não engordam.

3. O mesmo levantamento ainda provou que a planta da tequila, por ser rica em fibras, pode ajudar a baixar os níveis de colesterol ruim. Além disso, a bebida ainda teria poder de quebrar as moléculas de gordura no organismo.

4. De acordo com um estudo científico realizado em 2012, a tequila, por ter componentes que aumentam a produção de bactérias boas no intestino, pode ser boa aliada da digestão.

5. Se você costuma se sentir relaxado ou mesmo sonolento após tomar tequila, saiba que, segundo um estudo divulgado pelo Natural Health Remedies, a bebida realmente tem ação calmante e pode contribuir para o sono. Desde que, claro, consumida com moderação.

Apesar de ser considerada pela ciência uma bebida que garante benefícios à saúde, a tequila não deve ser encarada como um remédio e, como possui alto teor alcoólico, deve ser sempre consumida com moderação e responsabilidade.

Sigue leyendo

Más popular