Conectate con nosotros

Otros

A rotação de culturas como solução de problemas atuais da Agricultura

Publicado

en

.

diversidade de espécies de plantas ao longo dos anos proporcionada pela rotação de culturas pode proporcionar várias melhorias nos atributos químicos, físicos e biológicos do solo.

A rotação de culturas proporciona, por exemplo, maior ciclagem de nutrientes, devido ao fato que as espécies vegetais possuem diferentes sistemas radiculares diferentes, de diferentes profundidades, com padrão de extração de nutrientes diferentes.

Desta forma, nutrientes que foram lixiviados e estão fora do alcance de sistemas radiculares fasciculados mais rasos são recuperados por sistemas pivotantes mais profundos e, após a morte destas plantas, ficam disponíveis na superfície do solo.

Além disso, algumas espécies vegetais atuam como adubos verdes, fixando o nitrogênio da atmosfera, como no caso das plantas da família botânica Fabaceae, ou hiperacumulando nutrientes na parte aérea.

Essas espécies vegetais utilizadas na adubação verde geralmente possuem uma relação carbono/nitrogênio muito baixa (menor que 40:1), favorecendo assim a decomposição mais rápida de seus resíduos e a liberação dos nutrientes no solo.

Ao contrário dos adubos verdes, as plantas utilizadas como cobertura do solo, principalmente as da família botânica Poaceae, possuem alta relação carbono/nitrogênio (acima de 40:1), resultando em maior duração da palhada na superfície do solo.

Uma boa cobertura do solo com resíduos de plantas é um dos pilares do Sistema Plantio Direto, pois protege o solo do impacto das gotas de chuva e da erosão, além de atuar na manutenção da umidade no solo e de temperaturas mais baixas na superfície do solo.

Portanto, ao intercalar plantas das famílias Fabaceae e Poaceae ao longo das safras em um sistema de rotação de culturas é possível aumentar não só a fertilidade química do solo, como também aumentar o teor de matéria orgânica no solo.

matéria orgânica do solo desempenha um papel fundamental na manutenção das funções do solo, dada a sua influência na estrutura e estabilidade do solo, na retenção de água, na biodiversidade e como fonte de nutrientes para as plantas.

Além disso, a matéria orgânica estimula o desenvolvimento de microrganismos benéficos no solo que vão não só disponibilizar nutrientes para as plantas cultivadas, como também podem atuar como agentes biológicos de controle de importantes pragas agrícolas.

Nesse sentido, a rotação de culturas pode reduzir a população de nematoides em uma área ao longo das safras, atuando basicamente em duas frentes: favorecendo o desenvolvimento de microrganismos que atuam como inimigos naturais e proporcionando plantas com baixo fator de reprodução de nematoides.

Plantas que possuem fator de reprodução maior que 1,0 são boas hospedeiras de nematoides, aumentando sua população no solo, enquanto plantas com fator de reprodução menor que 1,0 irão reduzir a população de nematoides na área.

Intercalar espécies vegetais hospedeiras e espécies não-hospedeiras, em conjunto com o aumento da matéria orgânica e da atividade microbiana do solo, é uma estratégia eficaz para manter a infestação de nematoides no solo dentro de níveis aceitáveis.

3. Os benefícios da rotação de culturas para o manejo fitossanitário

rotação de culturas

O manejo fitossanitário é, de longe, o item do custo de produção agrícola que mais encareceu ao longo dos anos, proporcionalmente aos outros itens.

Se em 2002 você perguntasse a um agricultor qual era o item mais caro do custo de produção ele com certeza lhe responderia que seria o fertilizante. Hoje, qualquer produtor rural irá lhe dizer que é o manejo fitossanitário.

E isso, infelizmente, não mudou por que os preços dos fertilizantes diminuíram, mas sim por que o custo com herbicidas e, principalmente, fungicidas e inseticidas aumentaram muito.

Em 2002, por exemplo, se você dissesse ao agricultor que o tratamento de sementes de soja deveria ter algum outro produto que não apenas inoculante, cobalto e molibdênio, que ele precisaria fazer aplicações de fungicidas no milho ou que os percevejos seriam uma praga-chave na cultura do milho, ele provavelmente daria risada e não te levaria a sério.

Hoje ninguém está rindo.

É preciso lembrar que, ao contrário dos países europeus ou norte-americanos, o Brasil não possui um inverno rigoroso que elimina plantas daninhas, pragas, patógenos e plantas hospedeiras.

Ao contrário, o clima brasileiro favorece o surgimento de um fenômeno chamado ponte verde, em que duas safras agrícolas e a vegetação espontânea do pousio multiplicam problemas fitossanitários o ano inteiro.

Plantas daninhas resistentes a herbicidas, novas doenças de plantas cultivadas, aumento da incidência de pragas agrícolas e perda da eficiência de herbicidas, fungicidas, inseticidas e de biotecnologias são apenas alguns dos problemas fitossanitários enfrentados atualmente pelos agricultores.

E todos esses problemas fitossanitários seriam ao menos minimizados se a rotação de culturas fosse adotada pelos agricultores brasileiros.

A alternância de culturas agrícolas favorece a rotação de ingredientes ativos e de mecanismos de ação, evitando assim a seleção de indivíduos resistentes aos principais herbicidas, fungicidas e inseticidas utilizados atualmente.

Pelo mesmo princípio, a rotação de culturas também poderia evitar a multiplicação de insetos resistentes às biotecnologias disponíveis atualmente no mercado, em conjunto com a adoção das áreas de refúgio.

E como nem todas as culturas agrícolas são hospedeiras dos mesmos patógenos, a rotação de culturas também contribui para a redução da incidência de doenças de plantas, desde que observada a alternância entre plantas hospedeiras e plantas não-hospedeiras.

4. Como fazer a rotação de culturas em sua propriedade rural

rotação de culturas

Nenhum dos fatos citados acima é completamente novo para os agricultores. De maneira geral, todos eles compreendem as vantagens técnicas da rotação de culturas.

A questão costuma ser financeira. E completamente equivocada.

Em primeiro lugar, por que não é necessário deixar de produzir culturas rentáveis para se adotar a rotação de culturas. Pelo menos, não em toda área.

Sim, por que a ideia que se tem sobre a rotação de culturas é que, para adotá-la, seria necessário deixar de cultivar culturas com maior rentabilidade, como a soja por exemplo, por uma safra.

Mas é possível dividir a propriedade rural em partes, e realizar a rotação de cultuas ao menos entre os talhões.

Uma propriedade rural pode ser dividida, por exemplo, em cinco partes, onde o cultivo da soja seria realizado no verão em 80? área e a rotação de culturas em 20%.

Na safra seguinte, os 20? área que não irão receber soja seriam diferentes da safra anterior, até que o sistema tenha rodado pelas cinco partes.

Entre os agricultores que têm conseguido implantar com sucesso um sistema de rotação de culturas, vale a pena destacar os resultados obtidos pelo Eng. Agr. José Eduardo de Macedo Soares Júnior da Fazenda Capuaba, em Lucas do Rio Verde-MT:

rotação de culturas

A Fazenda Capuaba não só conseguiu minimizar os graves problemas com nematoides com a rotação de culturas e a diversificação de espécies vegetais, como também construiu a fertilidade do solo e obteve reduções expressivas do custo de produção ao longo das safras.

Mas, infelizmente, não existe uma “receita-de-bolo” para a rotação de culturas. O sistema de rotação de culturas implantado com sucesso na Fazenda Capuaba pode não servir para a propriedade rural vizinha, que possui histórico da área diferente, problemas diferentes, maquinário diferente, equipe de colaboradores diferente, etc.

É preciso lembrar também que para fazer a rotação de culturas não basta apenas escolher culturas agrícolas diferentes.

Culturas agrícolas diferentes, mas da mesma família botânica, com os mesmos problemas fitossanitários, com o mesmo padrão de extração e exportação de nutrientes, pouco colaboram para o sucesso do sistema de produção agrícola.

O planejamento da rotação de culturas precisa ser realizado de modo a rotacionar também famílias botânicas, sistemas radiculares, ciclagem de nutrientes, adubos verdes e espécies formadoras de palhada, problemas fitossanitários, multiplicação de nematoides, entre os vários outros fatores abordados neste artigo.

Além disso, os efeitos da rotação de culturas podem ser potencializados com a utilização de consórcios ou integração de culturas, com duas ou mais espécies vegetais simultaneamente em uma mesma área.

Por fim, o segundo grande equívoco cometido por aqueles que possuem resistência à adoção da rotação de culturas é a cultura do imediatismo, em que os resultados são analisados apenas por safra, e não no contexto ao longo das safras.

Uma eventual frustração de receitas devido a uma menor área com soja pode ser compensada com o menor custo de produção ou com a maior produtividade (ou com ambos) na(s) safra(s) seguinte(s).

Desta forma, apenas a análise econômica ao longo das safras irá conseguir mensurar esses benefícios.

Fonte: Instituto Agro

Sigue leyendo
Comentarios

Otros

Reconocen a Paraguay como el país con mayor avance en lucha contra la corrupción

Publicado

en

Asunción, IP.- En Latinoamérica se reconoce a Paraguay como el país con más avance en lucha contra la corrupción así como en la recuperación de activos provenientes del crimen organizado, destacó en la víspera el procurador General de la República, Sergio Coscia.

Durante la reunión con el jefe de Estado Mario Abdo Benítez, el procurador le informó acerca de su reciente designación como presidente de la Asociación Latinoamericana de Procuradurías de Estado (ALAP), considerado por Coscia como “un logro significativo”, atendiendo a que los demás países valoran el liderazgo internacional que tiene el Paraguay.

Comentó que la designación se dio por unanimidad y durante toda la conferencia, los representantes de las diferentes naciones latinoamericanas reconocieron a Paraguay como “el país con más avance en la lucha contra la corrupción”, puntualizó.

“Asimismo se reconoce al Paraguay en la recuperación de activos provenientes del crimen organizado y naturalmente con el último logro con mayor avance en la defensa de los derechos humanos y en el respeto al sistema interamericano de derechos humanos”, señaló.

Finalmente resaltó que esta es la primera vez que Paraguay ejerce la presidencia del organismo en la defensa de los intereses patrimoniales de naciones latinoamericanas.

Sigue leyendo

Otros

Concurso APS: 616 vacancias para USF de 9 regiones sanitarias

Publicado

en

El Ministerio de Salud Pública y Bienestar social lanzó el segundo concurso para el fortalecimiento de Unidades de Salud de la Familia. Con este proceso se prevé cubrir el 100% de recursos humanos, lo que beneficiará a la estrategia que acercará la salud a cada hogar. 

El Ministro de Salud Pública, Dr. Julio Mazzoleni, dio el inicio oficial a esta segunda edición del concurso para cubrir 616 plazas para médicos de preferencia con especialidad en medicina familiar, licenciadas en enfermería u obstetricia, técnicos y/o auxiliares enfermería u obstetricia y agentes comunitarios; para Unidades de Salud de la Familia en 8 departamentos y capital del país. 

Por su parte, el Dr. Juan Carlos Portillo, Director General de Servicios de Salud informó que se recibirán los documentos desde el lunes 26 en horario de 07 a 15 en el salón auditorio del MSP. 

“Les instamos a participar, a que ingresen a la web institucional para acceder a toda la información, y a la descarga de documentos que deberán ser anexados a la carpeta. Irá hasta el viernes 30 y el procedimiento será similar al de la primera etapa, ya que hay ajustes que se encuentran en el reglamento. La autoridad del concurso será una comisión del Ministerio de Salud y veedores, esto para garantizar la igualdad de oportunidades y la transparencia”, expresó a fin de recordar los mecanismos de participación. 

Asimismo, la Licenciada Rossana Gómez de la Fuente señaló: “Rogamos a que tengan en cuenta el reglamento que está en la web, esto para que todos se vean incluidos en este concurso. Es muy importante que cumplan especialmente en lo documental”.

“Instamos a todos los jóvenes de todos los niveles a prepararse para el examen que vamos a anunciar y participar bien porque la idea es contratar a los mejores del país”, añadió  

En cuanto al proceso de selección, Gómez de la Fuente refirió que la idea es optimizar los mecanismos y para ello se ha dispuesto de un equipo amplio para recibir rápidamente las carpetas.  Lo importante es que la persona debe entender que apuntando a la transparencia la recepción la queremos hacer en el Ministerio de Salud y evitar las gestorías, cada participante debe traer de manera personal sus documentos sin intermediarios. 

Las autoridades también destacaron que los puntos que decantaron la mayor cantidad de participantes fueron la presentación incorrecta de documentación y el examen. En este punto volvieron a exhortar a los interesados en presentar documentación completa con los formularios que están en la página web y la documentación personal del participante que es excluyente así como  la presentación del certificado de vida y residencia del postulante.  El concurso es gratuito y las carpetas deben ser traídas de forma personal no hay recomendación o apoyo todos tendrán la misma oportunidad, finalizaron. 

2do Concurso APS

Con este llamado se pretende cubrir vacancias en Guairá, Caaguazú, Capital, Itapúa, Misiones, Ñeembucú, Pdte. Hayes, Boquerón y Alto Paraguay con llamados especiales para completar USF de San Pedro  y Canindeyú que también están incluidos en esta segunda fecha.

El proceso de selección será por el mérito de cada postulante y con la mayor de las transparencias, a fin de contar con profesionales idóneos y con arraigo en las comunidades que cuentan con USF para brindar un servicio de calidad a la población.  

Las bases y condiciones estarán disponibles en la web institucional.

Sigue leyendo

Otros

BECAL prevé lanzar seis nuevas convocatorias de becas en setiembre

Publicado

en

En el mes de setiembre próximo, el Programa Nacional de Becas de Postgrado en el Exterior “Don Carlos Antonio López” (BECAL) tiene previsto lanzar seis nuevas convocatorias de becas, con unas 250 plazas disponibles. Estas serán para formación de idiomas en el país, movilidad internacional universitaria, maestrías, doctorados y posdoctorados.
Al respecto, el coordinador general de BECAL, Federico Mora, estimó que con esta nueva ronda de convocatorias se llegará a unos 500 beneficiarios en el 2019, teniendo en cuenta los que ya fueron seleccionados durante el primer semestre.

Una vez anunciadas las nuevas becas disponibles, el equipo de BECAL recorrerá las cabeceras departamentales y universidades de todo el país con miras a extender las oportunidades de capacitación a todo el territorio nacional, en concordancia con su objetivo de llegar cada vez a más paraguayos y aumentar la generación de capital humano avanzado.

Cabe recordar que BECAL prevé otorgar un total de 1.553 becas, con una inversión de USD 57.277.875, en el periodo comprendido entre el 2019 y el 2023, con el objetivo de fortalecer las áreas de investigación y educación, e incluir nuevas opciones como la movilidad internacional de grado, y la formación de idiomas.

Esta política pública ha contribuido a que miles de profesionales puedan acceder a los mejores centros académicos a nivel mundial, con el objetivo de generar capacidades y obtener conocimientos que al retorno puedan aplicarlos en Paraguay, fomentando mayor ciencia, tecnología, innovación e investigación.
Sigue leyendo

Más popular