Conectate con nosotros

Notas

CRISE:Temor de recessão no comércio nas cidades de fronteira

Publicado

en

saltodelguairaaldia.com Portal de Noticias de Salto del Guairá

Alta do dólar eleva temor de recessão no comércio nas cidades de fronteira

Os municípios de Corumbá, Mundo Novo e Bela Vista sofrem com especulação.

A escalada do dólar na última semana, que levou a moeda norte-americana às maiores cotações dos últimos 13 anos, traz vantagem temporária, mas também incerteza e ainda mais temor de recessão no comércio das cidades sul-mato-grossenses que fazem fronteira com o Paraguai, como Mundo Novo, vizinha de Salto del Guairá, e Bela Vista, irmã de Bella Vista Norte. Na avaliação de dirigentes de entidades empresariais ouvidas pelo Correio do Estado, num primeiro momento, a alta até pode propiciar benefícios isolados para uma ou outra atividade do lado brasileiro, mas, em médio prazo, esse cenário torna-se mais especulativo do que propriamente vantajoso para as cidades fronteiriças.

“Para nós, não é bom. O Paraguai não é um concorrente e, sim, um parceiro nosso. Como temos muita gente do Paraguai que tem empresa e mão de obra do Brasil trabalhando lá hoje, se passa a ter dificuldade de venda [o movimento deles cai], as empresas vão demitir os funcionários brasileiros. Também temos vários hotéis e restaurantes que dependem do fluxo de vendas. Para nós, é muito ruim ter o dólar nesse preço”, enfatiza Vanderley Ranke, diretor da Associação Comercial de Mundo Novo.

Com uma população estimada de 17 mil habitantes, cerca de 600 empresas instaladas (entre comércio e indústria) no município e aproximadamente 2,5 mil empregos gerados somente em território brasileiro, além de outros 400 empregos do lado de lá da fronteira, a entidade acompanha com preocupação a crise na vizinha Salto Del Guairá, de 40 mil habitantes, diretamente associada à alta do dólar desde o início do ano, que afugentou o turista brasileiro, e também ao desaquecimento da própria economia brasileira. De acordo com dados do jornal paranaense O Presente, a prefeitura da cidade paraguaia estima que 10 mil trabalhadores tenham perdido seus empregos desde o início do ano. Salto também amarga queda de 70% no movimento comercial.
FOTO:CIUDADE DE SALTO DEL GUAIRA – PY
*A reportagem, de Daniela Arruda, está na edição de hoje do Jornal Correio do Estado
PUBICIDADE:
GRUDABEM

Sigue leyendo
Anuncio

Tendencias