Conectate con nosotros

Nacionales

Risco de demência pode ser maior para estas pessoas, sugere estudo

Publicado

en

Os pesquisadores analisaram dados do National Health and Aging Trends Study, que envolveu uma amostra de 6 376 beneficiários do Medicare entre os anos 2011 e 2018, concentrando-se  naqueles que apresentam maior risco, ou seja, que têm problemas de sono durante «a maioria das noites».

De acordo com as descobertas, quem sofre de insônia tem um risco 49% superior de demência. E não é tudo. Os cientistas ligam ainda a falta de sono com um risco 44% acrescido de morte precoce.  

Já quem relata acordar frequentemente a meio da noite apresenta um risco de morte prematura 56% superior e 39% de demência. 

Por fim, quem dá por si a dar voltas e voltas sem conseguir dormir e tem um sono interrompido, tem 56% de probabilidade de vir a desenvolver demência, enquanto o risco de morte prematura é de 80%, apontam os cientistas. 

Os Centros para Prevenção e Controle de Doenças afirmam que existem cerca de cinco milhões de adultos com demência e preveem que este número continue a subir. Em 2060, os especialistas estimam que possam existir 14 milhões de casos.

Sigue leyendo
Anuncio

Tendencias