Conectate con nosotros

Internacionales

PlayStation 5. Sony quer acelerar transição para a nova console

Publicado

en

Por esta altura a Sony já ultrapassou o patamar dos cem milhões de unidades vendidas da PlayStation 4, uma grande base de jogadores que pode revelar-se um desafio na altura em que for introduzida uma nova geração da consola com a PlayStation 5.

Confrontado com a questão numa entrevista com o GamesIndustry, o CEO da PlayStation, Jim Ryan, fez questão de deixar claro que a empresa pretende tornar a passagem entre gerações tão rápida quanto possível.

“Estes são jogadores que estão ligados, colados, entretidos e apaixonados pela PlayStation a uma extensão que não vimos em gerações anteriores. À medida que começamos a seguir em frente para a nova geração em 2020, uma das nossas tarefas – e possivelmente a principal tarefa – é levar essa comunidade e transitar da PlayStation 4 para a PlayStation 5 a uma escala e ritmo que nunca fizemos antes”, afirmou Ryan.

Não se sabe como é que a PlayStation planeia provocar esta transição entre gerações mas, por enquanto, é justo especular que a empresa queira disponibilizar tantas unidades quanto possível da PlayStation 5 no lançamento.

Sigue leyendo

Internacionales

Novas tecnologias digitais aumentam produtividade de empresas

Publicado

en

Indústria 4.0 é um termo recente que explica a aplicação das novas tecnologias nos principais processos industriais.

Um programa piloto realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), com 43 empresas de 24 estados, mostrou que as novas tecnologias digitais da Indústria 4.0 aumentam em cerca de 22% a produtividade de micro, pequenas e médias empresas. Denominado Indústria Mais Avançada, o projeto é o primeiro a testar o impacto na produção do uso de ferramentas de baixo custo como sensoriamento, computação em nuvem e internet das coisas (IoT).

Indústria 4.0 é um termo recente que explica a aplicação das novas tecnologias nos principais processos industriais. Entre as características mais marcantes estão a automação de tarefas e o controle de dados e informações. O surgimento e utilização dessas ferramentas está sendo classificado como a quarta revolução industrial, devido à possibilidade de um impacto mais profundo e por se caracterizar por um conjunto de tecnologias que permitem a fusão do mundo físico, digital e biológico. 

Entre as ferramentas utilizadas estão a Impressão 3D (adição de material para fabricar objetos, formados por várias peças, constituindo uma montagem); Inteligência Artificial (busca simular a capacidade humana de raciocinar, tomar decisões, resolver problemas, dotando softwares e robôs de capacidade de automatizar vários processos); Internet das Coisas (possibilidade de que objetos físicos estejam conectados à internet, podendo assim executar de forma coordenada uma determinada ação).

Há ainda a Biologia Sintética (convergência de novos desenvolvimentos tecnológicos nas áreas de química, biologia, ciência da computação e engenharia, permitindo o projeto e construção de novas partes biológicas); e Sistemas Ciber-Físicos (sintetizam a fusão entre o mundo físico e digital, com todo objeto físico e os processos físicos que ocorrem, em função desse objeto, digitalizados). 

“O objetivo do Senai com a experiência-piloto, chamada de Indústria mais Avançada, é refinar um método de baixo custo, alto impacto e de rápida implementação, que ajude as empresas brasileiras a se inserirem na 4ª Revolução Industrial. A iniciativa do Senai prova que a Indústria 4.0 é para todos: qualquer tipo de empresa, em qualquer estado do Brasil. O resultado nacional é relevante, e, principalmente, houve ganhos significativos para todas as empresas atendidas”, disse o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi. 

Segundo o Senai, os pilotos foram realizados entre maio de 2018 e outubro deste ano, em empresas dos segmentos de alimentos e bebidas, metalmecânica, moveleiro, vestuário e valçados. Foram instalados sensores para coletar dados, e as informações foram transmitidas para uma plataforma que acompanha em tempo real o desempenho da linha de produção, podendo ter maior controle dos indicadores do processo e antecipar-se a possíveis problemas.

“As empresas que obtiveram maiores ganhos com as tecnologias digitais foram aquelas que utilizavam menos técnicas de gerenciamento da produção antes de participar do programa. A técnica nova, ao ser introduzida em uma empresa que utiliza poucos métodos de gestão, proporciona ganho maior em produtividade”, disse o gerente executivo de Inovação e Tecnologia do Senai, Marcelo Prim.

De acordo com o Senai, a análise mostrou ainda que a percepção do ganho obtido com a tecnologia é muito afetada pelo porte da empresa. As médias e grandes empresas tendem a investir em tecnologias da Indústria 4.0 para dar continuidade aos esforços de aumento de produtividade. Os micro e pequenos empresários valorizam mais a agilidade permitida pelo sistema. 

“O sistema permite aprender com o processo produtivo, diminuindo o tempo de resposta, tornando-o mais ágil e previsível. Garantir que aquilo que o empresário planejou será entregue nos prazos que ele combinou com o mercado traz um nível de competitividade maior para a pequena empresa, e ela consegue se inserir mais facilmente nas cadeias de valor”, explicou Prim. 

Entre as recomendações para aderir à indústria 4.0 estão enxugar processos, qualificar trabalhadores, empregar tecnologias disponíveis e de baixo custo, investir em pesquisa. 

Com informações da Agência Brasil

Sigue leyendo

Internacionales

Mito ou verdade: nutricionista explica se maçã dá fome ou não

Publicado

en

Quem está começando uma dieta ou tem o hábito de ter uma alimentação saudável, com certeza já pode ter passado pela seguinte situação: comer uma maça e, em seguida, o estômago “roncar”. Em algumas pessoas, ao invés de matar a fome, essa fruta aumenta a vontade de comer. Mas isso é um mito ou verdade?

Foto: Leonardo de França, Midiamax

Segundo a nutricionista esportiva Bruna Samways, é verdade. Isso porque a maçã é uma fruta leve, de fácil digestão e porque contém um componente que explica essa sensação de (mais) fome.

“Ela vai dar mais fome por causa do ácido málico que contém, por isso ela pode acelerar esse apetite. Muitos pacientes chegam reclamando que isso acontece, mas isso é normal e pode acontecer em algumas pessoas”, explicou Bruna.

Para quem não o conhecia, o ácido málico é uma substância que é facilmente encontrada em frutas e legumes, principalmente na maçã. O ácido málico traz benefícios para a saúde, como aumentar a imunidade do corpo, reduzir o risco de acumulação de metais tóxicos no organismo e promover uma pele mais lisa e firme.

Outras frutas que contém o ácido málico além da maçã são as cerejas, lichias, pêssegos, tomates e morangos, que também são classificados como alimentos mais leves, conforme a nutricionista. Para quem quer seguir a dieta e manter uma alimentação saudável, pode também optar por frutas mais ficas em fibras, como pera, manga, laranja e alimentos com gorduras boas, como o abacate e o coco.

Mas por causa disso deverá parar de comer a maçã? Não por isso. A dica para obter saciedade por mais tempo é consumir a maçã acompanhada de algum alimento fonte de proteína, gordura ou fibra, pois esses nutrientes são digeridos mais lentamente pelo nosso organismo e irão retardar o esvaziamento gástrico dessa refeição. A maçã tem excelente valor nutritivo, e seu consumo pode trazer diversos benefícios à saúde.

Foto: Leonardo de França, Midiamax
Sigue leyendo

Internacionales

Áreas protegidas de Itaipu evitan millonarias pérdidas a Paraguay y Brasil, destacan en conferencia del clima

Publicado

en

Asunción, IP.- Durante la Conferencia Mundial sobre el Clima (COP 25), técnicos de la Itaipu Binacional presentaron un estudio que busca cuantificar los servicios basados en la naturaleza, llamados ecosistémicos.

El principal dato económico es que sin las más de 100.000 hectáreas de áreas protegidas alrededor de la usina de la hidroeléctrica, el embalse recibiría sedimentos en un volumen que acortaría la vida útil de la hidroeléctrica cada año.

La presentación fue realizada por el director de Coordinación Ejecutiva del lado paraguayo, Miguel Gómez, con su homólogo brasileño, Luis Felipe Carbonell, quienes destacaron la gestión binacional para proteger el medio ambiente y la calidad del agua, fuente principal de la generación de energía.

El objetivo es demostrar cómo las compañías que tienen servicios basados en la naturaleza, con la protección del medio ambiente pueden contribuir a la longevidad de los recursos y minimizar el riesgo comercial.

 Los datos fueron parte de un estudio presentado por ITAIPU este sábado 7 de diciembre en Madrid, España, durante la Conferencia Mundial sobre el Clima (COP 25), en un evento promovido conjuntamente con el Departamento de Asuntos Económicos y Sociales de las Naciones Unidas (UNDESA).

Sigue leyendo

Más popular